fbpx
hormônios da felicidade

7 maneiras de estimular os hormônios da felicidade

O que você vai saber aqui:

  • O que são hormônios da felicidade
  • Como estimular a felicidade no cérebro de forma natural

Saiba como turbinar os neurotransmissores e ser feliz

O conceito de felicidade pode até variar conforme a percepção que cada pessoa tem com base na sua história particular e experiência individual de vida. Mas a busca pela felicidade é uma unanimidade.

Todos os dias acordamos com a intenção de ser feliz. Embora abstrata, a felicidade é uma grande motivação para seguir em frente, acreditar em sonhos e lutar para torná-los realidade.

Não existe uma fórmula para ser feliz, mas do ponto de vista científico é possível sim se valer de algumas estratégias para que a felicidade vire rotina.

A felicidade é um estado de espírito, uma sensação provocada pelo cérebro, e entender quais os hormônios envolvidos nesse processo e como eles influenciam no humor pode ajudar muito a ser mais feliz.

São quatro os principais hormônios responsáveis por causar a sensação de felicidade. Cada um age de uma maneira específica no cérebro e no organismo. Entenda:

Dopamina: também chamada de neurotransmissor do prazer.

É a dopamina quem regula diversas funções importantes como o humor, o sono, a memória, a frequência cardíaca e a coordenação motora.

A dopamina também é responsável por ativar os circuitos de recompensa do cérebro, por isso, é produzida pelo organismo justamente quando vivemos alguma experiência prazerosa.

Serotonina: também tem impacto no humor, sono e ritmo cardíaco do corpo. Depressão, ansiedade e insônia são alguns dos problemas mais comuns que a baixa concentração de serotonina pode provocar.

O triptofano é o aminoácido percursor da serotonina, por isso alimentos que sejam ricos em triptofano podem ser interessantes para o equilíbrio hormonal. Alguns exemplos são as castanhas, o ovo, a banana, o peixe e arroz integral.

Ainda assim, o organismo necessita de estímulos para a produção de seratonina. Situações onde nos sentimos importantes, úteis e significativos tem muita relação com a liberação desse hormônio.

Oxitocina: também conhecida como o hormônio do amor.

A principal função da oxitocina é promover as contrações musculares do útero durante o parto e estimular a secreção do leite.

Por isso, a oxitocina está ligada à filiação, tendo grande influência nas sensações de prazer e afeto. Assim, tem importante relação com as interações sociais.

Endorfina: muito reconhecida pelo seu poder de analgesia natural. Muitos estudos relacionam a endorfina com a capacidade de controlar as reações do corpo à tensão.

Quando liberada pelo organismo promove bem-estar e alegria. É a endorfina a responsável por aquela sensação de plenitude logo após a atividade física.

Como estimular a felicidade

O “quarteto da felicidade” é produzido naturalmente pelo organismo, mas nem sempre de maneira equilibrada. São diversos os fatores que podem causar algum desequilíbrio em um ou mais desses neurotransmissores, como por exemplo situações de estresse, sedentarismo e noites mal dormidas. A consequência pode ser desde a perda da motivação para dar conta das atividades do dia a dia até casos mais graves como a depressão.

Estimular os hormônios da felicidade está ao alcance de todos. Incluir atitudes simples e positivas no dia a dia pode parecer pouco, mas é fundamental para ajudar nesse processo. Veja agora 7 dicas infalíveis para turbinar esses hormônios e ser feliz!

  • Praticar atividade física diária: existem estudos que mostram os efeitos positivos da endorfina até duas horas depois da sua liberação. Outras pesquisas observaram um aumento de endorfina no corpo até 72 horas após o exercício.

Não importa qual esporte praticamos, o importante é escolher algum exercício com o qual tenhamos afinidade. Procurando por motivação para iniciar alguma atividade física? Leia esse post sobre o SuperCoffee, o café termogênico ideal para dar aquele gás que estava faltando!

  • Comemorar conquistas: quando ensinamos para o cérebro o que ele deve entender como algo bom, estamos educando a mente para ter um comportamento positivo e liberar os hormônios do prazer.
  • Meditar: a meditação é uma ferramenta poderosa para o relaxamento do corpo e da mente. Ao relaxar, o cérebro produz com maior facilidade os hormônios da felicidade. Veja neste post dicas para incluir a meditação no seu dia a dia.
  • Agradecer todos os dias: criar o hábito de agradecer diariamente é capaz de proporcionar milagres em nossas vidas. Ser grato pelas coisas mais simples nos ajuda a lembrar dos inúmeros motivos que temos para ser feliz. Uma dica legal é criar um caderno da gratidão, e anotar diariamente um item para agradecer.
  • Praticar um hobby: encontrar alguma atividade que seja feita apenas por prazer é muito importante para estimular o bem-estar e a felicidade. Vale aprender algo novo, como um artesanato ou um instrumento musical, o que ajuda também na autoestima.
  • Rir com as pessoas: estar entre amigos e com pessoas de quem gostamos é garantia de momentos alegres. A interação social é fundamental para ativar os hormônios do prazer e da felicidade.
  • Cantar e dançar: já dizia o velho ditado, “quem canta seus males espanta”. E é verdade! Aqui, não se trata de testar habilidades vocais. Não é preciso afinação, o que vale é se divertir, o que é muito positivo para o bom funcionamento do sistema nervoso central.
Rolar para cima